RESGATE HISTÓRICO – Mercado do Pescado é reaberto com grande movimentação de venda

Comerciantes de peixes que estavam dispersos pela cidade retornaram ao tradicional mercado criado há 39 anos

Três anos depois de terem sido expulsos pela histórica cheia do rio Madeira de 2014, comerciantes de peixe retornaram ao tradicional Mercado do Pescado, reaberto no domingo (5) com festa, apresentações culturais e muita alegria. Com recursos próprios, a prefeitura fez uma reforma completa, inclusive nas instalações elétricas e hidráulicas, e devolveu os 36 boxes aos comerciantes que estavam dispersos, a maioria vendendo seus produtos nas ruas e outros locais inadequados, praticando concorrência feroz entre eles próprios.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Durante a cerimônia de reabertura do mercado, os comerciantes fizeram uma promoção e reduziram os preços entre 10% e 20% aos consumidores. O movimento surpreendeu os permissionários que há muito tempo não viam um volume tão grande de vendas. O prefeito convocou todo seu secretariado para prestigiar a cerimônia de reativação do mercado, como forma de demonstrar o apoio total de sua gestão aos comerciantes locais.

HISTÓRICO

O Mercado do Pescado surgiu há 39 anos, após a desativação de uma serraria que funcionava na região do Cai N’Água, onde até hoje é mantida a caldeira como uma espécie de monumento histórico da extinta serraria. Com a desativação, pescadores que retornavam de suas jornadas de trabalho e desembarcavam no Cai N’Água, passaram o ocupar o barracão abandonado para comercializarem seus peixes, dando origem ao atual mercado.

Durante a gestão do prefeito Carlinhos Camurça, há cerca de 13 anos, ele deu início a construção do que é hoje o Mercado do Pescado. A obra, porém, só foi concluída durante a administração do ex-prefeito Roberto Sobrinho. Em 2014, após a cheia do Madeira, os vendedores se dispersaram e passaram a comercializar o pescado nas esquinas e ruas da cidade, de forma desorganizada. A presidente da Colônia de Pescadores Z-1, Marina Gomes, cuja jurisdição vai de Nova Califórnia à Calama, elogiou e agradeceu ao prefeito dr Hildon Chaves pela reativação do mercado.

Para se evitar a concorrência desleal, fechou-se um acordo pelo qual a Colônia de Pescadores só poderá vender diretamente ao consumidor quantidades acima de dez quilos. A venda no varejo, de quantidades para consumo doméstico diário, somente será feita no mercado.

MERENDA ESCOLAR

Por determinação do prefeito dr Hildon Chaves, os secretários Julio César Siqueira, do Desenvolvimento e Turismo; e Zenildo de Souza Santos, da Educação, fizeram um acordo com a Cooperativa de Pescadores, para inserir o pescado na alimentação escolar. Segundo Marina Gomes podem ser oferecidos produtos de pescados como hambúrguer, linguiça, carne despolpada e costelinha de tambaqui para servir aos alunos da rede municipal.

O secretário Zenildo Gomes disse que a Semed vai começar nos próximos dias um projeto piloto nas escolas Padre Chiquinho e Jesus Nazaré. O historiador e vereador, Aleks Palitot, conhecedor da história do local não só pela literatura, como também pela própria vivência pessoal, já que cresceu ao lado do Mercado do Pescado, na Baixa da União, disse que apresentará um projeto de lei para que o pescado faça parte do cardápio dos alunos do ensino infantil e fundamental pelo menos duas vezes por semana.

“Nosso projeto tem várias vertentes. Primeiro que muitos de nossos alunos são de famílias tradicionais ribeirinhas, cujo alimento básico é o pescado. Depois, estaremos ajudando a viabilizar a piscicultura, na questão da logística de comercialização. O projeto gera renda, fomenta empregos, oferece uma alimentação saudável e é nossa marca amazônida”, destacou o vereador Palitot.

O vice-prefeito Edgar do Boi disse que nos próximos 30 a 40 dias, funcionará no local também uma feira hortifruti com produtos trazidos diretos pelos produtores rurais, sobretudo os ribeirinhos.

INTEGRAÇÃO

Muito aplaudido, entre abraços e selfies, o prefeito dr Hildon Chaves, anunciou como grande projeto para o local a integração com a praça de Estrada de Ferro Madeira Mamoré, por meio de um calçadão que será construído ligando os dois espaços. “Aos poucos estamos devolvendo os espaços públicos à população. Este, em especial, é um local exclusivo pois faz parte da dieta diária do portovelhense”, enfatizou.

Estiveram presentes ao evento os deputados federais Lindomar Garçom e Luiz Cláudio, todos os secretários municipais e adjuntos, vereadores e lideranças comunitárias, especialmente pescadores e ribeirinhos.

Fonte: Comdecom