AstraZeneca anuncia medicamento promissor contra câncer de mama

O medicamento Enhertu, desenvolvido pela farmacêutica AstraZeneca, melhorou significativamente a taxa de sobrevivência de mulheres com câncer de mama metastático e retardou a progressão do tumor.

A AstraZeneca revelou num comunicado que o fármaco Enhertu melhora significativamente o quadro clínico de pacientes que sofrem de câncer de mama metastático com níveis baixos da proteína HER2.

De acordo com um estudo clínico levado a cabo pela empresa e que incluiu mulheres que tentaram três a quatro tratamentos prévios sem sucesso, o medicamento aumenta a sobrevida das pacientes e retarda a evolução do câncer de mama metastático.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Banner ALE Sobrevivente - 970

No comunicado, a farmacêutica afirmou que a melhora dessas pacientes foi “clinicamente significativa”, comparativamente à quimioterapia padrão.

“Trata-se de redefinir a categorização do câncer de mama e aumentar o número de opções para as mulheres”, disse Susan Galbraith, líder de pesquisa e desenvolvimento em oncologia da AstraZeneca.

O Enhertu pertence à classe de fármacos conjugados de anticorpos (ADC) – anticorpos projetados para se ligarem às células tumorais e libertar substâncias químicas que matam de seguida as células.

O medicamento é comercializado desde 2019 para o tratamento de outros tipos de tumor, como o gástrico, câncer pulmonar e colorretal.