Prévia da inflação tem menor índice para outubro desde 1998

Indicador registrou taxa de 0,09% em outubro, frente a 0,58% no mesmo mês do ano anterior. Há 21 anos, taxa foi de 0,01%.

Foto: Tatiana Fortes/O POVO

A prévia da inflação ficou no menor índice para outubro desde 1998, segundo o IPCA-15 (Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15), do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), divulgado nesta terça-feira (22).

O indicador registrou taxa de 0,09% em outubro, frente a 0,58% no mesmo mês do ano anterior. Em outubro de 1998, a taxa foi de 0,01%.

Os itens de higiene pessoal e produtos farmacêuticos tiveram o maior impacto no resultado de outubro, seguidos pelo grupo de transportes — principalmente pelo aumento dos preços do óleo diesel, do etanol e do gás veicular.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Em contrapartida, alimentos e bebidas registraram deflação, influenciados pela queda nos preços da cebola, da batata-inglesa e do tomate.

A prévia da inflação registrou estabilidade em comparação a setembro deste ano, quando os dois meses registraram taxa de 0,09%.

De janeiro a outubro deste ano, a prévia da inflação acumulou alta de 2,69%. Nos últimos 12 meses, o indicador ficou em 2,72%.

O IBGE informa que os preços para o cálculo do IPCA-15 foram coletados entre os dias 13 de setembro e 11 de outubro deste ano.

O indicador refere-se às famílias com rendimento de 1 (R$ 998) a 40 (R$ 39.920) salários mínimos e abrange as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e Goiânia. A metodologia utilizada é a mesma do IPCA — que mede a inflação oficial —, a diferença está no período de coleta dos preços e na abrangência geográfica.