Menino morre após quebrar tornozelo em São Paulo: “Dor e revolta”

"Deram alta ao meu sobrinho e não avisaram que ele tinha uma fratura, mas sim uma simples luxação", revelou Fabiana Santana

Um menino de 12 anos morreu após sofrer uma fratura no tornozelo durante um jogo de futebol em São Paulo, no Brasil. A família do rapaz acusa os hospitais onde Arthur Barros da Silva foi atendido de negligência médica.

Arthur se machucou durante uma aula de Educação Física e, como a dor persistiu, foi levado ao hospital dois dias depois.

Segundo uma tia do rapaz, foi feito um diagnóstico errado ao menino. “Deram alta ao meu sobrinho e não avisaram que ele tinha uma fratura, mas sim uma simples luxação”, revelou Fabiana Santana.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Como o rapaz continuou com dores e com o tornozelo inchado, a família tornou a levá-lo ao hospital e pediu, depois, para que o rapaz fosse transferido para outra unidade para ser consultado por um ortopedista. Segundo o G1, Arthur foi submetido a um raio-x, que comprovou que o rapaz tinha uma fratura. Após ser medicado, recebeu alta.

Arthur não melhorou e continuou sentindo dores fortes, o que levou a que fosse internado. “Durante a madrugada, ele não se sentiu bem e eu pedi para que ele fosse avaliado por uma médica. Ela disse que não iria lá, porque ele já estava mais que medicado”, lamentou a tia do menor. O menino acabou morrendo na manhã seguinte.

Segundo o G1, a causa indicada para a morte do rapaz foi de insuficiência respiratória aguda, tromboembolismo pulmonar e a fratura sofrida na perna direita. A família mostra-se revoltada, já que considera ter existido negligência médica no tratamento prestado ao menino.

“É um sentimento de dor e revolta”, admitiu ainda a tia do rapaz, que apresentou queixa por negligência médica.