Ouça o áudio da conversa entre o presidente Michel Temer e o dono da JBS

Presidente sabia de procurador ‘infiltrado’ em força-tarefa contra controladora da J&F

“O Eduardo tentou me fustigar”, afirma o presidente Michel Temer em conversa com Joesley Batista, um dos donos da JBS. O STF (Supremo Tribunal Federal) divulgou no início da noite desta quinta-feira (18) a gravação. O áudio, de 38 minutos, foi revelado após o ministro Edson Fachin retirar o sigilo das delações dos executivos.

Por volta do minuto 11, além de comentar que “está de bem” com Cunha, Joesley informa a Temer que conseguiu colocar um procurador de confiança nas investigações contra a J&F na Justiça. “Consegui um procurador dentro da força-tarefa que está me dando informação e que eu estou para dar conta de trocar o procurador que está atrás de mim.” O presidente dá uma resposta inaudível. Em seguida, Joesley reafirma que está apenas se “defendendo”. Temer diz: “É”

Veja abaixo a transcrição do trecho em que Joesley e Temer falam sobre Cunha:

Joesley Batista: […] Como é que o senhor tá nessa situação toda aí do Eduardo, do não sei o quê […].

Michel Temer: O Eduardo tentou me fustigar.

Joesley Batista: E como é que tá essa relação?

Michel Temer: Ah tá […] e na hora de ir para a defesa indeferiu 21 perguntas dele que não tem nada a ver com a defesa dele. Era pra me […]. Eu não fiz nada com ele […] no Supremo Tribunal Federal. Ó só […] fatalidade […]. E tá aí, rapaz [..], mas os meus ministros […]

Joesley Batista: Dentro do possível eu fiz o máximo que deu ali. Zerei tudo o que tinha, alguma pendência daqui prali zerou e tal. […] deu tudo e ele foi firme em cima, ele já tava lá [preso em Curitiba] , veio, cobrou, tal, tal, tal. Pronto, acelerei o passo e tirei da frente. O […], companheiro dele […] que o Geddel sempre tava.

Michel Temer: […]

Joesley Batista: Geddel que andava sempre ali. Mas o Geddel também com esse negócio, eu perdi o contato também, porque ele virou investigado. Agora eu não posso também …
Michel Temer: É complicado.

Joesley Batista: Eu não posso encontrar ele.

Michel Temer: […] perigosíssimo.

Joesley Batista: Isso, isso. O negócio dos vazamentos, o telefone lá do […] com o Geddel, volta e meia citava alguma coisa meio tangenciando a nós, eu tô lá me defendendo. O que eu mais ou menos dei conta de fazer até agora? Tô de bem com o Eduardo.

Michel Temer: Tem que manter isso, viu.

Joesley Batista: Todo mês também. Eu tô segurando as pontas, tô indo. […]. Eu tô meio enrolado aqui no processo assim.

Michel Temer: […]

Joesley Batista: Isso, isso. investigado. Eu não tenho ainda denúncia. […]  Aqui eu dei conta de um lado com o juiz, dá uma segurada. Do outro lado o juiz substituto, que é o cara que ficou.

Michel Temer: Tá segurando os dois?

Joesley Batista: Tô segurando os dois.

Michel Temer: Ótimo, ótimo.

Em pronunciamento realizado mais cedo, o presidente Temer disse ter solicitado a gravação ao Supremo, mas não teve seu pedido atendido pela Corte. Ele afirma que a conversa foi gravada “clandestinamente” e “trouxe de volta o fantasma de crise política de proporção ainda não dimensionada”.

Ouça abaixo a íntegra da gravação:

Fonte: R7