Tarcísio estuda fazer trem entre SP e Santos e quer leiloar outros dois até 2026

Um trem ligando São Paulo a Santos é considerado de alta complexidade, principalmente pela dificuldade que é ultrapassar a Serra do Mar

O Governo de São Paulo já tem planos para três novos empreendimentos ferroviários entre a capital paulista e outras cidades.

Após o leilão do projeto de São Paulo a Campinas, que ocorrerá nesta quinta-feira (29), a gestão do governador Tarcísio de Freitas (Republicanos) vai estudar a viabilidade de criar trens intercidades para Santos, Sorocaba e São José dos Campos.

Rafael Benini, secretário de Parcerias em Investimentos de São Paulo, diz que parte disso se deve à “paixão” de Tarcísio por ferrovias, o que o faz estar empenhado pessoalmente nos projetos de TICs (Trem Intercidades).

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

“Outro dia ele me disse: ‘Benini, aqui não dá para fazer o traçado do TIC Santos?’. Ele veio com um mapa desenhado com o traçado para a gente ver a topografia e entender se funciona. É um cara que pessoalmente está envolvido nesse projeto”, afirma.

Um trem ligando São Paulo a Santos é considerado de alta complexidade, principalmente pela dificuldade que é ultrapassar a Serra do Mar.

Segundo o secretário, Tarcísio encontrou um caminho para o projeto que passaria por Mongaguá.

“Ali a inclinação da Serra do Mar é mais propícia. Então a gente desceria por Mongaguá e iria para Santos via a antiga rodovia da Santos-Cajati”, diz.

Uma das questões que se impõe, contudo, é como ligar as ferrovias a São Paulo. Benini afirma que é possível sair por Parelheiros, pela linha 9-esmeralada. O problema é que não há espaço. “Ainda é um sonho”, diz.

Se o trem para Santos ainda é incerto, outros dois projetos já começam a ganhar corpo. Recentemente, o Governo de São Paulo contratou um estudo junto ao IFC (International Finance Corporation), braço do Banco Mundial, para viabilizar um TIC ligando São Paulo a Sorocaba.

Segundo Benini, já existem “200 traçados” prontos para o projeto, e a ideia agora é entender qual o melhor em termos de custo-benefício.

“No começo do ano que vem, a gente vai estar pronto para soltar a audiência pública, que eu acho que não vai ter problema”, diz o secretário.

Outra questão sobre o projeto de Sorocaba é a decisão de por onde o trem vai chegar a São Paulo. O secretário diz que há espaço para entrar pela linha 8-diamante para chegar até a estação Presidente Altino, mas o objetivo é fazer com que o trem chegue pelo menos até o metrô.

“Eu consigo chegar à [estação] Água Branca? Consigo, mas é caro. Consigo chegar à Barra Funda? Não, porque não tenho mais plataforma para mais um trem. Consigo chegar a Pinheiros? Consigo. É mais barato? É, mas vou ter de chegar pela outra margem do rio, não pela linha 9.”

Por ora, o valor de investimento previsto para o TIC Sorocaba é de R$ 9,5 bilhões. O objetivo é publicar o edital no meio de 2025, para que o leilão ocorra ainda no ano que vem.

Benini afirma que o governo também está começando a discutir a contratação do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) para fazer os estudos de um trem ligando São Paulo a São José dos Campos.

“O governador está pressionando para que a gente tente fazer esse leilão em 2026, mas eu acho que é um leilão para 2027. A CPTM [Companhia Paulista de Trens Metropolitanos] está começando a estudar um traçado”, afirma. “São José dos Campos é um projeto um pouquinho mais difícil que o de Sorocaba.”