Aplicativo SASI tem mais de 200 mil pessoas cadastradas

Ferramenta contribui na organização do processo de imunização contra a Covid-19

Após dois meses de implantação, o aplicativo SASI, ferramenta que é utilizada pela Prefeitura de Porto Velho para administrar a vacinação contra a Covid-19, já tem 200 mil pessoas cadastradas. O sistema tornou-se fundamental para o planejamento e execução do processo de imunização que está em andamento na capital.

É por este motivo que a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), a quem compete a vacinação da população, recomenda que todos os moradores baixem o aplicativo e façam o cadastro, para no momento certo receber o agendamento com o dia e horário da imunização. O agendamento obedece a critérios como comorbidade e idade e ordem de cadastro.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Banner2 ALE 970x250

Baixar o aplicativo SASI é fácil. Para fazer a validação é necessário digitar o código de verificação: PVH21.

Segundo o superintendente Municipal de Tecnologia da Informação, Saulo Nascimento, a ferramenta atende as demandas apresentadas pela pandemia e presta outras contribuições à administração municipal. O SASI, segundo ele, para melhorar ainda mais a performance, passa por atualizações para facilitar a visualização dos avisos de cadastro e agendamento.

Saulo Nascimento, superintendente da SMTISaulo Nascimento, superintendente da SMTI

“A ferramenta proporciona facilidades à Semusa e torna o processo de vacinação mais organizado. No entanto, é muito importante que o usuário fique atento aos avisos que chegam pelo aplicativo e por e-mail para não perder o dia que é chamado para ser vacinado”, adverte Saulo.

Ele destaca ainda que existe o recurso de consulta do agendamento no Portal da Prefeitura, na página do Imuniza.

SEGUNDO AGENDAMENTO

Nos casos em que a pessoa é chamada em um segundo agendamento, o usuário deve descartar esta convocação. Saulo explica que a situação já está sendo corrigido pela equipe de tecnologia da informação da Prefeitura. “Não há uma ligação direta com o aplicativo, e sim com a sincronização das rotinas de nossos sistemas com a rede nacional de saúde”, explicou o superintendente.

A receptividade do aplicativo pela população deve fazer com que ele seja adotado definitivamente para futuras campanhas de vacinação e outras atividades. “Pretendemos ampliar o uso para atividades de outros setores da administração”, destacou Saulo.