Com lotação, Cemitério Santo Antônio é parcialmente fechado em Porto Velho

Novos sepultamentos para vítimas da Covid-19 serão em um cemitério particular contratado pela prefeitura.

O Cemitério Santo Antônio, localizado à margem leste do rio Madeira em Porto Velho, atingiu a sua capacidade máxima no último final de semana e foi parcialmente fechado na manhã desta segunda-feira (5). Novos sepultamentos para Covid-19 serão feitos em um cemitério particular contratado pela prefeitura.

O Santo Antônio tem cerca de 95 mil sepulturas ao longo dos seus 250 mil metros quadrados de extensão. Segundo a prefeitura de Porto Velho, toda área destinada às vítimas da Covid-19 e para demais enterros alcançou a lotação total.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Banner ALE 970x250

Com isso, daqui para frente, os sepultamentos serão feitos no Cemitério Recanto da Paz em Porto Velho, já que a prefeitura adquiriu 1,8 mil gavetas para resolver temporariamente o problema da falta de espaço no Santo Antônio.

Sepultamentos por Covid-19

 

Após a pandemia da Covid-19 começar a atingir a capital rondoniense, a Secretaria Municipal de Serviços Básicos (Semusb) reservou uma área para sepultamentos de vítimas do coronavírus. Na época ainda não se tinha dimensão dos impactos do caos sanitário e apenas nove covas foram reservadas. Com o tempo ficou insuficiente.

De acordo com a prefeitura de Porto Velho, de 23 de março de 2020 (data do primeiro enterro por Covid-19 no cemitério Santo Antônio) até 31 de dezembro de 2020, foram registrados 777 enterros pelo vírus, com média de 86 sepultamentos por mês, equivalente a quase três por dia.

Já no primeiro trimestre de 2021, foram contabilizados 426 sepultamentos apenas por Covid-19, o que representa mais de 50% de todos os enterros pelo vírus ocorridos no ano passado.