Filho acusa Hospital Samar de liberar corpo errado para enterro; sua mãe foi identificada só após o sepultamento de pessoa diversa

Entenda o caso

Porto Velho, RO – O filho de uma senhora que morreu em decorrência do novo Coronavírus (COVID-19/SARS-CoV-2) resolveu entrar com uma ação contra o Hospital Samar.

Nela, solicita uma indenização de R$ 30 mil por danos morais.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Banner ALE 970x250

O empreendimento fora contratado pelo Governo do Estado a fim de oferecer maior número de leitos clínicos e de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) enquanto perdurar a pandemia.

E por que a pessoa em questão processou a instituição privada de saúde?

Porque o Samar, segundo dados envoltos à peça inicial apresentada à Justiça por uma dupla de advogados, teria, equivocadamente, liberado outro corpo à funerária.

Em suma, houve cortejo pela cidade, e o procedimento ganhou tons coletivos de honraria, isto porque a mãe do autor da diligência judicial atuava na linha de frente contra a COVID-19 [ela era enfermeira].

A reviravolta

Ainda segundo a petição, realizado o enterro, o filho da senhora falecida deslocou de volta para a sua residência.

Ocorre que, horas depois do sepultamento, recebeu nova ligação do Hospital Samar para comparecer na sede da instituição de saúde “para realizar reconhecimento de um cadáver que lá se encontrava […]”.

Isto ocorreu porque o nosocômio detectou  que o corpo liberado ao filho da enfermeira “não era sua genitora”.

Prontamente, o cidadão se deslocou ao Samar, e, ao realizar o reconhecimento do cadáver que lhe foi apresentado, “para sua tristeza e dor, constatou que havia sepultado pessoa diversa de sua mãe, isso em decorrência do erro na liberação de corpo à funerária por parte da Requerida [Hospital Samar]”.

Em razão disso, seus advogados continuam o ralto, “o Requerente teve, mais uma vez, que ser submetido ao processo de dor e tristeza de um novo cortejo e enterro, sendo que agora o enterro ocorreu no cemitério Recanto da Paz […]”.

O Rondônia Dinâmica tentou contato com o Hospital Samar com intenção de ouvir a versão do empreendimento acerca dos fatos, porém, até o fechamento da matéria, não obteve êxito.

O espaço está aberto para a apresentação do contraditório.