Papa pede que FMI e Banco Mundial reduzam dívidas de países pobres

O pontífice pede solidariedade global

O Papa Francisco gesticula ao proferir a oração do Angelus de sua janela no dia do lançamento de sua nova encíclica, intitulada "Fratelli Tutti" (Irmãos Todos), na Praça de São Pedro no Vaticano, 4 de outubro de 2020. REUTERS / Remo Casilli

O papa Francisco disse aos líderes das finanças do mundo que os países pobres atingidos pelo impacto econômico da pandemia de covid-19 precisam ter reduzidos os fardos de suas dívidas e receber uma voz maior na tomada global de decisões.

Em carta aos participantes do encontro anual de primavera do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial, o papa disse que a pandemia forçou o mundo a lidar com as crises inter-relacionadas nas áreas sócio-econômica, ecológica e política.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Banner ALE 970x250

“A noção de recuperação não pode se contentar com o retorno a um modelo desigual e insustentável da vida social e econômica, onde uma minúscula minoria da população mundial detém metade da riqueza”, disse o pontífice na carta, datada de 4 de abril.

Ele disse que um espírito de solidariedade global “exige, no mínimo, uma redução significativa do fardo da dívida das nações mais pobres, que foi exacerbada pela pandemia”.