Rondônia realiza operação estratégica na região de fronteira

A nova fase da Operação Hórus deve acontecer em total sigilo para não comprometer o plano estratégico da Segurança Pública do Estado..

A nova fase da Operação Hórus deve acontecer em total sigilo para não comprometer o plano estratégico da Segurança Pública do Estado de Rondônia, a exemplo do que aconteceu na primeira fase da operação, que faz parte do Programa Vigia, do Governo Federal, cuja finalidade é reforçar o combate à criminalidade na Faixa de Fronteira.

A Operação Hórus, que envolve o Batalhão de Fronteira e Divisas (BPfron) da Polícia Militar, a Polícia Civil e a Gerência de Estratégia e Inteligência (GEI), tem como propostas combater a travessia de veículos, de produtos de roubos/furtos no estado, que são levados para o país vizinho, além de fiscalizar o combate ao crime de contrabando e descaminho.

De acordo com o comandante do BPfron, capitão PM Melo, a meta é manter constantemente o patrulhamento em toda a extensão de fronteira, buscando ações de inteligência e combate aos crimes que elevam os prejuízos à sociedade rondoniense. “A Polícia Militar, por meio do BPfron, recém criado, iniciou suas ações já com a política de redução da criminalidade do estado, e em pouco tempo já mostramos resultados”, disse.

Na fase anterior da operação foram patrulhadas mais de 400 km de fronteira, apreendendo 12 armas de fogo, um caminhão toreiro, 9 mil carteiras de cigarros, mais de 4 mil isqueiros,  três veículos apreendidos, 41 pessoas presas em flagrante delito, 6 foragidos da justiça, 50 mil reais em espécie e vários objetos proveniente da Bolívia, sem declaração perante a Receita Federal, que, somados, chegam a cifra de 300 mil reais.

Rondônia  é uma das onze Unidades Federativas que fazem parte da faixa de fronteira nacional, com aproximadamente 1.342 km de fronteira com a Bolívia, banhado pelos rios Guaporé, Mamoré e Abunã, com densa floresta tropical que facilita o tráfico de drogas, o contrabando de armas, o descaminho, o roubo de cargas e de veículos, dificultando a ação fiscalizadora do Estado.

Para combater a criminalidade, a Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania, através da Gerência de Integração de Segurança e Fronteira da Sesdec, deflagrou a Operação Hórus. Para proteger a faixa de fronteira, o secretário da Sesdec, coronel PM José Hélio Cysneiros Pachá, pediu ajuda orçamentária do governo federal para custear o pagamento de diárias dos policiais que estão atuando no combate aos crimes fronteiriços.

“Estamos sempre buscando soluções para resolver os problemas referentes à segurança pública. Um dos caminhos encontrados agora foi pedir apoio ao governo federal. A Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça (Seopi) prontamente nos atendeu,” afirmou Pachá.