Noah Schnapp, de ‘Stranger Things’, critica usuários que apoiam ataques em Israel

Schnapp também criticou o silêncio online em comparação aos posicionamentos em relação à guerra da Ucrânia e a mudança climática

O ator Noah Scnapp, de “Stranger Things”, publicou um texto em seu Instagram em que critica seguidores seus que celebraram os ataques do grupo terrorista Hamas e diminuíram a importância das mortes de israelenses. Na mensagem, se mostrou contra a tomada de lados no conflito.

“Como um americano judeu, estou com medo. Com medo pelos meus irmãos e irmãs em Israel, que foram atacados sem sentido pelo Hamas. Estou verdadeiramente desolado ao ver os assassinatos brutais de crianças inocentes, mulheres e soldados lutando para se defender”, escreveu.

“Eu, como outros, desejo paz tanto para os palestinos quanto para os israelenses. Vamos parar com a retórica e a tomada de partido. Em vez disso, devemos reconhecer que todos estamos do lado da luta contra o terrorismo. Escolhamos a humanidade em vez da violência.”

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O ator criticou comentários deixados em uma publicação sua sobre uma jovem que foi morta pelo Hamas enquanto estava no festival de música Universo Paralello.

“Fui recebido por comentários que diziam ‘ninguém se importa com a Palestina livre’ e ‘ela merece isso, e todo terrorista israelense merece isso -Palestina livre’. Estou indignado com a justificação e celebração da morte da vida de uma jovem garota. As pessoas perderam a razão? Chega!”

“Você não precisa ser judeu, não precisa ser israelense, apenas precisa ter empatia e senso comum para saber que isso está errado.”

Schnapp também criticou o silêncio online em comparação aos posicionamentos em relação à guerra da Ucrânia e a mudança climática.

“Espero que possamos concordar que o Hamas é uma organização terrorista reconhecida: eles não representam o povo palestino quando valorizam mais o assassinato de israelenses do que a proteção dos próprios.Você está ou do lado de Israel ou está do lado do terrorismo. Não deveria ser uma escolha difícil.”

“Enquanto vocês justificam os assassinatos e torturas de nossos entes queridos, nós esperaremos e rezaremos por segurança, justiça, libertação e autodeterminação na Palestina.