Após decisão de Tóquio, Hokkaido e Fukushima vetam público em Jogos Olímpicos

O comunicado, que veio um dia após a ilha de Hokkaido declarar a mesma proibição, acompanha a decretação de estado de emergência em Tóquio e regiões vizinhas.

Em razão do crescimento do contágio da covid-19 e da forte pressão dos hospitais no Japão, o governador de Fukushima, Masao Uchibori, anunciou que não haverá público nos eventos dos Jogos Olímpicos que ocorrerão na cidade japonesa. O comunicado, que veio um dia após a ilha de Hokkaido declarar a mesma proibição, acompanha a decretação de estado de emergência em Tóquio e regiões vizinhas.

O primeiro-ministro do Japão, Yoshihide Suga, declarou, na quinta-feira, que o estado de emergência em Tóquio vigorará até dia 22 de agosto para prevenir o aumento do contágio da covid-19. Por isso, a ministra da Olimpíada, Tamayo Marukawa, informou a proibição de público para os eventos olímpicos. A decisão ainda deixava em aberto a participação de público em outras regiões como Hokkaido, Fukushima, Miyagi, Ibaraki e Shizuoka.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Banner1 ALE 970x250

No entanto, na sexta-feira, foi divulgada a decisão de Hokkaido de não abrigar espectadores, o que motivou o governador de Fukushima, Masao Uchibori, a realizar a mesma solicitação à organização dos Jogos Olímpicos. Com a autorização concedida, Uchibori declarou a proibição ao público nos eventos de beisebol e softbol que ocorrerão na

região, em coletiva neste sábado.

“Foi uma decisão muito difícil de tomar”. O governador ainda expressou sua consternação. “Muitas pessoas, incluindo crianças, estavam ansiosas pelos Jogos e eu sinto muito por tirar sua chance de assistir beisebol e softbol no estádio”, lamentou.

Com a proibição em Hokkaido e Fukushima, ainda não há informações se os departamentos de Miyagi, Ibaraki e Shizuoka permanecerão com a intenção de receber público nos eventos dos Jogos Olímpicos de Tóquio que começam, oficialmente, no próximo dia 23, apesar do futebol ter partidas dois dias antes.