Biles considera seguir na ginástica, mas diz: “Se me custar a paz, vou me afastar”

Campeã olímpica da Rio 2016 ressalta saúde mental na decisão sobre aposentadoria do esporte: "Se pudermos manter isso sob controle, adoraria treinar novamente"

A temporada 2021 enfim acabou para Simone Biles. Depois de sair das Olimpíadas de Tóquio com uma prata e um bronze, a campeã da Rio 2016 encerrou na última semana sua turnê de shows pelos Estados Unidos. A americana de 24 anos agora começa a planejar seu futuro e considera seguir na ginástica artística e ressalta a saúde mental como fator mais importante na decisão sobre uma possível aposentadoria.

O aspecto mental obviamente me pegou durante Tóquio e é, tipo, algumas daquelas coisas que você não pode ignorar. Meu corpo não ignorou. Se pudermos manter isso sob controle, adoraria treinar novamente. Mas, no final do dia, se me custar a paz, vou me afastar. E estou completamente bem em me afastar, porque já passei por muito. Eu conquistei muito – disse a atleta ao “US Weekly” ao fim da turnê Gold Over America.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Banner ALE Mulher - 970

Simone é dona de sete medalhas olímpicas (4 ouros, 1 prata e 2 bronzes) e 25 em Mundiais (19 ouros, 3 pratas e 3 bronzes). É a maior campeã mundial da história da modalidade entre homens e mulheres.

A americana era considerada a maior estrela das Olimpíadas de Tóquio e favorita para cinco das seis provas femininas da ginástica artística. No entanto, sofreu com o que chamou de “twisties”, um bloqueio mental que faz com que as ginastas percam a orientação no ar. Simone se retirou de quatro finais individuais dos Jogos para preservar seu corpo e sua mente.

Antes de Tóquio, Simone falava nas Olimpíadas do Japão como a última competição da carreira. Depois do resultado abaixo do esperado, ela reconsiderou sua aposentadoria e adiou a decisão sobre seu futuro.