Michael Jordan vai vender Charlotte Hornets, da NBA, por US$ 3 bilhões

A expectativa é de que o negócio seja concluído nas próximas horas, encerrando o período de 13 anos do ex-jogador como sócio majoritário

O Charlotte Hornets, da NBA, anunciou nesta sexta-feira que Michael Jordan acertou a venda de sua participação majoritária na franquia a um grupo liderado pelos empresários Gabe Plotkin e Rick Schnall. A expectativa é de que o negócio seja concluído nas próximas horas, encerrando o período de 13 anos do ex-jogador como sócio majoritário.

Em 2010, Jordan pagou US$ 275 milhões para se tornar sócio majoritário dos Hornets. Agora, a lenda do basquete americano está vendendo sua parte no negócio por cerca de US$ 3 bilhões (cerca de R$ 14,5 bi na cotação atual). Aos 60 anos, Jordan deverá manter uma participação minoritária após a conclusão do acordo.

Schnall é sócio minoritário do Atlanta Hawks e Plotkin já possuía uma fatia menor dos Hornets. Eles aguardam a NBA concluir o processo de verificação e aprovação do negócio para, enfim, assumirem a franquia. Segundo Wojnarowski, Jordan continuará supervisionando as operações de basquete até o draft da próxima quinta-feira e o início da janelas de transferências, em 1º de julho.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Natural da Carolina do Norte, Michael Jordan se tornou sócio do Charlotte Bobcats em 2006. Oito anos depois, o time passou por uma reformulação voltou a adotar o nome Hornets, original de sua fundação, em 1988.

Com a camisa do Chicago Bulls, Michael Jordan foi seis vezes campeão da NBA eleito por cinco vezes o Jogador Mais Valioso (MVP, em inglês). Ele ainda é amplamente considerado o maior jogador de basquete da história.

Os Hornets terminaram a temporada de 2022/23, vencida pelo Denver Nuggets, em penúltimo na Conferência Leste e vão ficar com a segunda escolha no draft da próxima temporada. O time nunca venceu uma edição da NBA e sua melhor campanha aconteceu na temporada 1997/98, quando caíram para o Atlanta Hawks na primeira rodada dos playoffs.