Osaka diz que está ‘se coçando’ para jogar: ‘Amo esse esporte, em breve voltarei’

Recentemente, Osaka também optou por não disputar o Torneio de Indiana Wells, na Califórnia, previsto para começar na semana que vem

Uma das melhores tenistas da atualidade no ranking da WTA – está na sétima colocação -, a japonesa Naomi Osaka anunciou uma pausa na carreira após a queda no US Open, em Nova York, no início deste mês, mas em entrevista ao canal de streaming HBO Max, a ex-número 1 do mundo indicou que não deverá ficar tanto tempo longe do circuito profissional e que tem tudo para voltar a competir em breve.

“Eu só preciso de uma pequena pausa para mim, para recuperar a motivação. Jogo tênis desde os três anos de idade, adoro esse esporte, então com certeza jogarei de novo, provavelmente em breve. Já estou sentindo aquela vontade interna, de não me importar se vou ganhar ou perder. Eu só quero ter a felicidade de estar de volta à quadra e saber que estou fazendo isso por mim mesma”, contou a japonesa.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Banner ALE Poder 3 - 970

Recentemente, Osaka também optou por não disputar o Torneio de Indiana Wells, na Califórnia, previsto para começar na semana que vem. A japonesa tem enfrentado problemas no seu jogo, desde que se retirou de Roland Garros, na França, em maio. Na ocasião, teve um desentendimento com oficiais do Grand Slam em relação às aparições na mídia, que, de acordo com a própria tenista, tiveram um impacto negativo sobre ela.

Osaka explicou que a decisão de fazer uma pausa veio por sentir que estavam tirando a sua vontade de jogar e entrava infeliz em quadra. “A única coisa que me preocupava era se venceria ou perderia e o que as pessoas diriam de mim. Eu adorava competir, adorava disputar jogos longos, que eram ainda mais divertidos para mim. Mas então tudo ficou ao contrário, quanto mais tempo eu passava na quadra, mais ficava estressada”, lamentou.

Ao falar sobre a pressão sobre si, ela disse que foi um processo crescente. “Depois de vencer o US Open pela primeira vez (em 2018), imediatamente tive que jogar outro torneio, então não precisei enfrentar muitos compromissos comerciais até o final do ano. Naquela época, eu estava muito feliz em conseguir negócios e outras coisas. Nunca achei que isso prejudicaria minha integridade”.

Um ponto importante observado pela japonesa na atualidade é saber administrar tudo o que acontece nas redes sociais. “Elas abriram espaço para que pessoas falem coisas que nunca diriam pessoalmente. Dá a essas pessoas um acesso que há alguns anos seria impossível, já que a única maneira seria se aproximar de você cara a cara”, analisou Osaka.

Por fim, a tenista de 23 anos falou que legado pretende deixar e não escondeu se espelhar na americana Serena Williams, hoje com 40. “Gostaria que as pessoas se lembrassem de mim pelo modo como agi com os outros e pela forma como interagi com elas. Por exemplo, se você olhar para Serena, seu legado vai muito além”, disse a japonesa.

“No meu caso, comecei a jogar tênis por causa dela, mas tenho certeza de que muitas outras meninas também. Podemos dizer que ela se encarregou de construir novas campeãs. Transmitir essa ideia é a melhor forma de inspirar novas gerações”, finalizou Osaka.