Palmeiras parcela dívida por Borja e se acerta com Atlético Nacional; veja valores

Clube colombiano havia entrado com processo judicial na Fifa contra o Palmeiras

O Palmeiras se acertou com o Atlético Nacional, da Colômbia, quanto à pendência financeira pelo centroavante Miguel Borja, atualmente emprestado ao Junior Barranquilla. O assunto havia levado o clube de Medellín a abrir um processo na Fifa.

Para comprar 70% dos direitos econômicos do jogador, em fevereiro de 2017, o Palmeiras pagou US$ 10,5 milhões (cerca de R$ 34 milhões, na cotação da época).

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
COVID 970x250

Uma cláusula no contrato obrigava o Palmeiras a pagar mais US$ 3 milhões e adquirir também os 30% dos direitos restantes que ainda pertenciam ao Atlético Nacional caso ele não fosse negociado até agosto do ano passado.

As diretorias, então, divergiram com relação à interpretação do contrato. Na visão do Palmeiras, não havia data-limite para o depósito. Contrariado, o clube colombiano acionou a Fifa e obteve decisão favorável, que obrigava o pagamento.

As duas partes entraram em acordo ainda durante a paralisação do futebol devido à pandemia da Covid-19. O Palmeiras quitará a dívida em seis parcelas de US$ 500 mil cada (R$ 2,7 milhões), conforme informação publicada pela imprensa colombiana e confirmada pelo ge.

Borja está emprestado até o final do ano ao Junior Barranquilla, que arca com os salários e tem obrigação de compra se o atacante marcar 23 gols ou participar de 73% dos jogos como titular.