Ainda internado, papa celebrará Ângelus dominical do hospital

Francisco recupera-se de uma colectomia (cirurgia para retirada de parte do cólon), realizada no domingo. Exame confirmou que ele tinha uma estenose diverticular grave no cólon.

O papa Francisco rezará o Ângelus dominical do quarto do hospital onde está internado em Roma, informou o Vaticano nesta sexta-feira (9).

O sumo pontífice, que tem 84 anos, recupera-se de uma colectomia (cirurgia para a retirada de parte do cólon), realizada no domingo (4), na Policlínica Universitária Agostino Gemelli.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Banner1 ALE 970x250

Exames confirmaram que ele tinha uma estenose diverticular grave no cólon, com sinais de uma diverticulite esclerosante.

O porta-voz do papa, Matteo Bruni, afirmou em comunicado que Francisco está sem febre, caminha pelo corredor do hospital e retomou seu trabalho, alternando-o com momentos de leitura.

“Sua Santidade o Papa Francisco teve um dia tranquilo, com um curso clínico normal. Ele continuou a se alimentar regularmente e continuou os cuidados planejados”, diz o comunicado.

“O Santo Padre agradece pelas muitas mensagens de carinho e proximidade que recebe diariamente e pede que continuemos orando por ele.”

A cirurgia do Papa

O Papa passou por uma colectomia (ou seja, remoção de uma parte do cólon), segundo o Vaticano (entenda no vídeo abaixo como é a cirurgia no intestino).

De acordo com a imprensa italiana, os cirurgiões que operaram o papa fizeram uma laparoscopia, procedimento que permite trabalhar na região do abdômen por uma pequena incisão.

Mas uma cicatriz de uma operação anterior na mesma área obrigou os médicos a mudarem a e recorrer a uma cirurgia tradicional, que é mais invasiva e tem um período mais longo de recuperação.

Não foi necessário recorrer à colostomia, que consiste em abrir o cólon artificialmente para que as fezes sejam evacuadas em uma bolsa.

Estenose diverticular do cólon

Na terceira idade, é comum que apareçam “saquinhos” na parede dos tubos do intestino — eles surgem principalmente pelo enfraquecimento natural dos tecidos. Essas “bolsas” são os divertículos.

A diverticulite é uma inflamação dessas protuberâncias. As inflamações deixam cicatrizes nos tubos do intestino, e a parede do órgão fica mais grossa — o que dificulta a passagem do material pelo tubo digestivo. Esse estreitamento do órgão é a estenose.