Paraguaios cavam valas para impedir que brasileiros entrem no país e governo decreta isolamento total

Valas estão sendo cavadas na fronteira com Mato Grosso do Sul. Quarentena no país também foi estendida até 12 de abril.

Valas sendo abertas na fronteira Brasil - Paraguai — Foto: Gazeta News

Um movimento comunitário está cavando valas na cidade de Ypejhú, na fronteira com o município sul-mato-grossense de Paranhos. O trabalho começou nesta sexta-feira (20), e se segundo os moradores, tem objetivo de impedir o acesso de brasileiros, com veículos, ao país que está de quarentena, estendida até o dia 12 de abril.

Em Pedro Juan Caballero, vizinha à brasileira Ponta Porã, moradores colocaram pneus, fitas e tambores para impedir a passagem de veículos e pedestres.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
COVID 970x250

O Exército paraguaio está monitorando a fronteira dos dois países, na região de Pedro Juan Caballero, deste quarta-feira (18), quando a fronteira foi oficialmente fechada. De acordo com o governo do Paraguai, só podem entrar no país paraguaios ou residentes.

Durante a semana, o presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, já havia anunciado o fechamento da Ponte Internacional da Amizade, na fronteira com o Brasil, que liga Cidade del Leste a Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná.

Nesta sexta, o Paraguai endureceu as medidas de combate ao coronavírus. Além de estender a quarentena, o governo decretou isolamento total a partir deste sábado (21) durante uma semana. O país tem 18 casos da doença e 1 morte confirmada.

As secretarias estaduais de Saúde divulgaram, até 12h30 deste sábado (21), 1.021 casos confirmados de novo coronavírus (Sars-Cov-2) no Brasil em 25 estados e no Distrito Federal. São 12 mortes no Brasil, três no Rio de Janeiro e chegou a nove em São Paulo.