Forças ucranianas lançam ataques em oito regiões russas, incluindo Moscou

A Ucrânia lançou 'drones' contra oito regiões russas na madrugada de hoje, atingindo um depósito de combustível e três subestações de eletricidade, disse uma fonte da defesa ucraniana.

“Pelo menos três subestações elétricas e um depósito de combustível foram atingidos e incendiaram-se”, disse a fonte à agência francesa AFP.

A mesma fonte declarou que o ataque visou “as infraestruturas energéticas que abastecem o complexo militar-industrial russo”.

O ataque resultou de uma operação conjunta do Serviço de Segurança da Ucrânia, do serviço de informações do Ministério da Defesa e das Forças de Operações Especiais das Forças Armadas, segundo a agência ucraniana Ukrinform.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O Ministério da Defesa russo disse que as defesas antiaéreas intercetaram 50 aeronaves sem tripulação lançadas pelas forças ucranianas contra oito regiões da Rússia, incluindo Moscovo.

Foram destruídos 26 ‘drones’ na região fronteiriça de Belgorod, 10 em Bryansk, oito em Kursk, dois em Tula e um em cada uma das regiões de Smolensk, Ryazan, Kaluga e Moscovo, precisou o ministério, citado pela agência oficial TASS.

O ministério russo não referiu se outros ‘drones’ atingiram alvos.

Numa outra notícia da TASS, o governador de Belgorod, Vyacheslav Gladkov, disse que uma mulher grávida morreu num bombardeamento ucraniano contra a aldeia de Novaya Tavolzhanka.

“Os médicos fizeram todos os possíveis para salvar a mãe e a criança. Mas, para nossa grande tristeza, a mulher e o bebé por nascer morreram devido aos ferimentos”, escreveu Gladkov nas redes sociais.

“Mais três pessoas ficaram feridas”, acrescentou.

Desconhece-se se se trata do mesmo ataque referido pelo Ministério da Defesa russo e anunciado pela Ucrânia.

A Ucrânia, que enfrenta uma ofensiva russa há dois anos, intensificou os ataques contra a Rússia nas últimas semanas, visando sobretudo as infraestruturas de petróleo e de gás.

Kiev prometeu levar os combates para solo russo como retaliação pelos numerosos bombardeamentos no seu território.

O governador da região ocidental de Smolensk tinha dito anteriormente que a Ucrânia tinha lançado ‘drones’ contra “uma instalação petrolífera e energética” na madrugada de hoje, mas que a unidade não tinha sido encerrada.

“As forças de defesa aérea abateram os veículos aéreos. No entanto, como resultado da queda de detritos, um tanque contendo combustível e lubrificantes pegou fogo”, disse Vasily Anokhin, citado pela AFP.

A guerra em curso, com um número de vítimas por contabilizar, foi desencadeada pela invasão russa da Ucrânia, lançada em 24 de fevereiro de 2022.