Presidente da Argentina informa oficialmente que país não vai aderir ao Brics

Presidente argentino Milei enviou carta a outros integrantes do bloco, incluindo Lula, informando desistência do país de integrar o Brics

O presidente argentino, Javier Milei, oficializou a decisão de que a Argentina não vai aderir ao Brics, bloco de países emergenciais no qual integram o Brasil, a Rússia, a Índia, a China e a África do Sul. A informação foi repassada aos presidentes do grupo por meio de carta, segundo os jornais La Nación e Clarín.

A decisão formalizada não pega os países de surpresa. Afinal, a chanceler Diana Mondino já havia informado que a Argentina não iria integrar o Brics.

A inclusão da Argentina no bloco foi anunciada em agosto. O governo anterior, liderado por Alberto Fernández, formalizou o início do processo de adesão do país ao Brics em outubro, após reunião com a ex-Presidente da República e chefe do Novo Banco de Desenvolvimento (NBD), Dilma Rousseff.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Milei quer manter relações bilaterais

Em carta enviada aos membros do Brics, o novo presidente afirmou que não considerava adequado participar do bloco a partir de janeiro do próximo ano. Ele destacou que muitas posições em relação à política externa do governo anterior são diferentes da posição do atual governo.

“Algumas decisões tomadas pela gestão anterior serão revisadas”, pontuou. Apesar da recusa, na carta o governo argentino diz que deseja destacar o compromisso com a intensificação de laços bilaterais, e que espera se reunir com os presidentes dos países que integram o Brics.