Governo altera critérios do Programa “Vencer” para facilitar acesso do público-alvo aos cursos de capacitação profissional em Rondônia

Área de alimentos está entre as 13 contempladas com os 45 cursos ofertados pelo governo estadual com o programa Vencer

Com o objetivo de facilitar o acesso da população em situação de pobreza aos 45 cursos de capacitação profissional ofertados pelo Programa Vencer, lançado em 30 de janeiro, o Governo de Rondônia alterou pelo menos três critérios. Conforme o Decreto N° 28.927, de 20 de fevereiro de 2024, publicado no Diário Oficial da terça-feira (20), agora, poderão se inscrever até dois membros da família a uma das 10 mil vagas ofertadas por ano, com idade a partir dos 16 anos, inscritos no Cadastro Único – CadÚnico, com renda per capita de até um salário mínimo. Antes, só podia participar uma pessoa por família, com idade a partir dos 18 anos e renda per capita mensal de R$ 218.

A proposta do Governo é avançar na erradicação da pobreza em Rondônia, por meio da inclusão produtiva e geração de emprego e renda, com vistas ao fortalecimento e autonomia dos indivíduos e famílias mais vulneráveis no Estado, dando oportunidade de qualificação e capacitação profissional, gratuitamente.

Para o governador de Rondônia, Marcos Rocha, após a realização desses cursos, os participantes poderão vislumbrar oportunidades de mudança de vida. “O Programa dá a garantia não apenas dos cursos, mas também uma bolsa mensal de R$ 200 pelo período de um ano, mesmo que o curso seja concluído antes. Também serão entregues kits profissionais, conforme a área de cada concluinte, que já poderá dar início a uma atividade profissional, gerando sua própria renda”, ressaltou, e pontuou que o auxílio será destinado aos que tiverem 100% de frequência e de aproveitamento no curso.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A titular da Secretaria de Estado da Assistência e do Desenvolvimento Social (Seas), Luana Rocha reforçou que, têm prioridade no ato de inscrição as mulheres que foram ou ainda são atendidas pelo Programa Mulher Protegida, mães atípicas, Pessoas com Deficiência (PcD) e catadores de materiais recicláveis.

A expectativa da Seas é qualificar profissionalmente cerca de 10 mil pessoas, por ano, com a realização de 45 cursos em 13 áreas tecnológicas: Construção Civil; Vestuário; Alimentos; Madeiro-Mobiliário; Metalmecânica; Energia; Logística; Automotiva; Refrigeração e Climatização, Tecnologia da Informação; Imagem Pessoal; Gestão e Técnico.