Grupo que retirava diamante de RO para levar a MG é alvo de ação da PF

Mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Cacoal (RO), três cidades de Minas Gerais e em Sorocaba (SP). Durante a ação, uma prisão em flagrante foi feita.

Cinco mandados de busca e apreensão foram cumpridos pela Polícia Federal (PF) na manhã desta quinta-feira (26) em Cacoal (RO), três cidades de Minas Gerais e em Sorocaba (SP), contra um grupo especializado no comércio ilegal de diamantes.

Segundo a PF, as investigações começaram em 2021, logo depois que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) flagrou um casal viajando com 23 pedras de diamantes em Pontes e Lacerda (MT). Aos policiais, o casal revelou que os diamantes haviam sido comprados em Cacoal (RO).

Já em outubro de 2022, o mesmo investigado foi preso em Juiz de Fora (MG), com uma carga de alexandrita, avaliada em mais de R$ 128 milhões.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Durante as investigações, os Federais descobriram que o esquema era comandado por um grupo com sede em Minas Gerais, que intermediava a compra e a venda das pedras preciosas extraídas ilegalmente do Norte do país, usando o Mato Grosso como rota para enviar as pedras ao Sudeste brasileiro.

Na casa de um dos suspeitos, investigado como um dos destinatários dos diamantes ilegais, houve uma prisão em flagrante. Documentos de identidade e uma carteira de comendador foram encontrados, o que, segundo a PF, caracteriza crime de “falsificar ou fazer uso indevido de sinal identificador de entidade da Administração Pública”.

No cumprimento dos mandados, foram encontradas 12 pedras na cor verde, que de acordo com a Polícia Federal, passarão por perícia para verificar se realmente se tratam de pedras preciosas.

Durante o cumprimento dos mandados, foram encontradas 12 pedras na cor verde em MG — Foto: Reprodução/PF-MG
Durante o cumprimento dos mandados, foram encontradas 12 pedras na cor verde em MG — Foto: Reprodução/PF-