Idoso é morto e enterrado em sua própria residência em Buritis

Os investigadores foram até ao local onde o idoso foi enterrado e constataram que o cadáver já estava em decomposição.

Um idoso de Buritis, identificado como Antônio João Alves e que tinha o apelido de “Catarino”, foi vítima de latrocínio (roubo seguido de morte) em Buritis (RO), município localizado em torno de 130 km de Ariquemes.

O registro do crime foi feito pela polícia nesta segunda-feira (22). Conforme apurou o Portal P1, a Polícia Civil recebeu informações que um senhor conhecido como “Catarino” estava desaparecido de sua residência e que um apenado estaria morando na residência, juntamente com a família e o cunhado, que também já esteve preso, por suspeita de crimes.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Banner ALE Mulher - 970

Durante o processo investigatório, a polícia constatou que o cunhado do suspeito que passou a morar na residência de “Catarino” foi visto andando com um veículo pampa que seria de propriedade da vítima Antônio João Alves. A investigação do sumiço de “Catarino” continua e os investigadores vão até a casa onde um dos suspeitos de participação no crime passou a residir, o mesmo local onde Antônio João Alves morava.

Ao serem interrogados, os suspeitos relataram à polícia que a propriedade de seu “Catarino” havia sido vendida por R$ 15.000,00 (Quinze mil Reais) e ainda disseram que o idoso era amigo de ambos, mas que, por decisão própria teria ido “grilar terra” em um local, supostamente desconhecido. Porém, ao fazer uma varredura no local, a equipe de investigação notou algo estranho. Além de um deles apresentar uma série de contradições, alguns cachorros estavam perambulando em volta da residência, sendo possível ainda sentir um forte odor, possivelmente de cadáver humano.

Em seguida, um deles foi conduzido até a delegacia com o intuito de se prestar os devidos esclarecimentos, onde apresentou muitas informações desencontradas, onde acabou confessando o crime, dizendo que viu o cunhado e um usuário de drogas enterrando a vítima.

Os investigadores foram até ao local onde o idoso foi enterrado e constataram que o cadáver já estava em decomposição. Em seguida, a perícia foi acionada para investigar as circunstâncias do crime.
O corpo foi liberado para o Instituto Médico Legal (IML) de Ariquemes. A polícia constatou ainda que a energia utilizada na residência ainda estava em nome da vítima, Antônio João Alves.

A investigação do crime continua e a polícia continua imbuída na captura de todos os suspeitos desse crime que chocou a população de Buritis.