PF faz operação contra quadrilha que fraudava licitações em Vilhena, RO

Ação é realizada nesta sexta-feira (18).

Uma operação foi deflagrada pela Polícia Federal (PF), nesta sexta-feira (18), com objetivo de desarticular um esquema de fraude de licitações em Vilhena (RO), a 70 quilômetros de Porto Velho. Chamada de Operação Blister, a ação cumpre 10 mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça Eleitoral.

Segundo a PF, a investigação foi iniciada em 2016, quando foi descoberto que uma quadrilha estava fraudando as licitações da prefeitura municipal de Vilhena.

Em nota, a polícia afirma que a “organização criminosa possuía estrutura e articulação suficiente dentro de entes públicos para fraudar licitações e auferir vantagem indevidas”. Além de Vilhena, os 10 mandados de busca e apreensão são cumpridos em Cacoal, Ji-Paraná, Buritis e Porto Velho.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Como funcionava o esquema de corrupção?

Segundo a PF, as fraudes nos processos licitatórios envolvem a empresa Biocal, que tinha a prática de fazer sobrepreço e, consequente, o superfaturamento nas contratações realizadas pela prefeitura municipal.

A Biocal visava a aquisição de nutrição especializada, medicamentos e materiais penosos destinados a atender as demandas da saúde pública municipal, envolvendo recursos oriundos do SUS.

Após constatar as fraudes, a PF pediu na Justiça o bloqueio de mais de R$ 8 milhões dos investigados.

G1 tenta contato com a Biocal e com a Prefeitura de Vilhena.

Blister

O nome da operação, Blister, é referente às embalagens de medicamentos que armazenam comprimidos. Segundo a PF, os comprimidos são um dos principais itens das licitações fraudadas pela quadrilha investigada.