Mostra audiovisual de vídeos, fotos e desenhos indígenas encerra a programação da 2ª Maloca Estudantil, no Teatro Guaporé

Além de fotografias e desenhos, vários vídeos produzidos por estudantes indígenas foram apresentados

A 2ª Mostra estudantil de arte e cultura indígena (Maloca) promovida pelo Governo de Rondônia encerrou na sexta-feira (19), dia dedicado às comemorações em homenagem aos Povos Indígenas. No Teatro Guaporé uma programação diversificada com foco na produção audiovisual, que envolve vídeos, fotografias e desenhos de grafismo indígena, encantou o público presente.

Desta vez, além dos 130 estudantes e professores indígenas de 25 etnias do Estado, a Maloca Estudantil recebeu alunos de uma creche particular de Porto Velho. Curiosas, as crianças puderam assistir aos vídeos e documentários produzidos por indígenas. Segundo a gerente de arte e cultura da Seduc, Sabrynne Sena “a seleção dos vídeos que foram exibidos na Maloca este ano foi feita com o objetivo de proporcionar uma visão autêntica da cultura e tradições locais. Temos alguns povos indígenas que já vêm trabalhando essa produção de forma mais expressiva. Exemplo disso é o filme Território, criado em parceria com os indígenas Uru-eu-wau-wau e que já recebeu vários prêmios internacionais incluindo o Emmy em 2023”.

Para incentivar ainda mais a produção de filmes pelos indígenas, a Maloca Estudantil incluiu na programação uma oficina de produção audiovisual ministrada pelo produtor Édier William, que também é curador de um festival de cinema em Rondônia. “Tenho observado muitos filmes com a temática indígena. Mas quem melhor para falar sobre os temas e as vivências nas aldeias que os próprios indígenas. Por isso essa inciativa do Governo de Rondônia é muito importante, valoriza a produção cultural”.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Entre as produções audiovisuais apresentadas na Maloca Estudantil está o vídeo produzido por Romildo Makurap sobre o grafismo de pinturas que eram utilizadas nas guerras. E ainda o vídeo da “Festa da Menina Moça”, produzido pela estudante indígena Rana Sabanê. “Com esse vídeo eu quis mostrar como é o ritual que muitas meninas da nossa aldeia passam. Eu mesma fiquei na casinha, como nós chamamos, por um ano. Mas sabemos que esse tempo varia, por isso fui buscar junto a minha avó a origem desse ritual tão importante para o nosso povo”.

De acordo com a secretária da Seduc Ana Pacini, “a Mostra estudantil de arte e cultura indígena cumpriu o seu papel nestes dois dias, com uma programação intensa e diversificada. Representou uma importante iniciativa do Governo de Rondônia para promover a valorização e o reconhecimento das tradições e saberes dos povos indígenas, promovendo a interação e troca de experiências entre diferentes comunidades indígenas do nosso Estado”.