Polícia Científica de RO identifica armas empregadas em assassinatos

Perícia

Exames de confronto balístico realizados por peritos oficiais criminais da Polícia Técnico-Científica de Rondônia identificaram duas armas empregadas em cinco homicídios dolosos ocorridos em Cacoal, Ji-Paraná, Ministro Andreazza e Vilhena. Os laudos têm ajudado na elucidação dos crimes, que possivelmente estão associados à pistolagem de grupos de extermínio.

De acordo com o diretor-geral da Polícia Técnico-Científica, Domingos Sávio, os exames foram realizados na seção de balística forense do Instituto de Criminalística da Polícia Técnico-Científica de Rondônia, que tem por função principal o exame de armas de fogo, munições e os efeitos por elas produzidos, estendendo suas atribuições ao exame de armas brancas, armas impróprias, instrumentos, impactos de projéteis, entre outros, sempre que estes objetos tiverem relação com infrações penais.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Nesse setor, as armas de fogo são examinadas com a intenção de determinar seus dados de qualificação como: tipo de arma, calibre, capacidade de carga, tipo e o característica de raiamento. Também são realizados exames para testar sua eficiência e prestabilidade para saber a possibilidade da arma em questão produzir um determinado efeito ou ferimento.

As munições também são examinadas para determinação do calibre real, sua eficiência e os tipos de armas em que podem ser utilizadas. No caso de projéteis lançados através do cano de armas de fogo e seus estojos deflagrados, estes possuem evidências valiosas que permitem afirmar, na maioria dos casos, exatamente de qual arma de fogo esta munição foi utilizada. É o que se chama de “exame de confronto balístico”. Já as armas brancas são examinadas em relação a sua identificação e classificação de corte, de choque e de arremesso, visando verificar seu funcionamento, capacidade de potencial lesivo e remoção de possível material biológico para exame de DNA.

Foram examinadas seis pistolas, algumas com numeração suprimida, além de vários estojos e projéteis de arma de fogo. As análises apontaram que duas pistolas calibre .40 estão relacionadas com as mortes de cinco homens, sendo dois em Cacoal, um em Ministro Andrezza, um Ji-Paraná e um em Vilhena. Dentre as pessoas assassinadas, está um advogado da Câmara de Vereadores de Cacoal e é possível que outras mortes possam estar relacionadas com estas armas. “Ao final, foram elaborados seis laudos periciais, que foram encaminhados as delegacias dos respectivos municípios”, disse o diretor-geral, que ressaltou o trabalho do Governo do Estado para reforçar os serviços periciais imprescindíveis à segurança pública e à justiça estadual.