Audiência debate reforma na Previdência com bancada federal e trabalhadores.

O presidente da Assembléia Legislativa, Maurão de Carvalho (PMDB), e o deputado Anderson do Singeperon (PV) realizaram na manhã desta segunda-feira (20), no Plenário da Assembléia Legislativa, audiência pública que debateu, em conjunto com a bancada federal de Rondônia, a Proposta de Emenda Constitucional 287/17, que versa sobre a Reforma da Previdência.

O presidente da Assembléia, Maurão de Carvalho (PMDB), destacou que os deputados estaduais não votam na PEC, mas que devem debater com a população as questões e lavar o pensamento do rondoniense aos parlamentares federais, citando que todos são contra esta proposta da forma como está, pois retira direitos do trabalhador.

A representante da Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Anfipe), Isabel Elias Pereira, realizou exposição explicando os pontos da reforma proposta pelo governo, salientando que há possibilidade até de que benefícios podem ser inferiores ao salário mínimo.

Isabel iniciou sua fala contestando o déficit na previdência, pois o governo em momento algum divulga o valor e os devedores do sistema. “Os trabalhadores só lembram da Previdência na hora de se aposentar, enquanto que é um seguro, deve ser cuidada a vida toda”, afirmou.

Destacou os grandes desvios históricos da previdência como a construção da Transamazônica e Itaipu e as características dos sistemas de seguridade social, as formas de cobertura previdenciária, forma de financiamento. Isabel destacou que mesmo o governo falando que é deficitária, “provamos que isso é mentira”.

Isabel disse que a arrecadação em todo o sistema previdenciário foi de R$ 687,8 bilhões em 2015. Somente em 2015, segundo ela, o superávit foi de R$ 11,1 bilhões. “O governo lança despesas com aposentadorias de servidores na conta da previdência, o que é despesa própria”, destacou.

O deputado Lebrão (PMDB) afirmou que a reforma da previdência do jeito que está sendo proposta é prejudicial ao povo brasileiro. “Sou totalmente contra a reforma da previdência, não podemos aceitar tal reforma do jeito que está sendo proposta, pois retira direitos do trabalhador brasileiro”.

Ao final dos debates e exposições, o deputado Anderson do Singeperon leu os termos da Carta de Compromisso, com o encaminhamento da audiência pública, na qual todos concordaram, de encaminhar carta à bancada federal pela rejeição total do projeto.

Fonte: Assessoria