Prefeitura de Porto Velho amplia oferta de Profilaxia Pós-Exposição (PEP), medicamentos de prevenção ao HIV

Agora, 12 unidades disponibilizam os medicamento gratuitamente

A Prefeitura de Porto Velho, através da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), ampliou o número de unidades de saúde que estão ofertando a Profilaxia Pós-Exposição (PEP), medicamentos de prevenção ao HIV. Com isso, 12 pontos oferecem os remédios gratuitamente.

A estratégia faz parte dos esforços da Semusa em promover qualidade de vida para a população da capital. O uso correto desses medicamentos reduzem, massivamente, os casos de HIV.

“Essa ampliação mostra o compromisso da gestão em garantir uma saúde melhor para as pessoas que moram ou que estejam visitando a nossa cidade. Afinal, estamos em período carnavalesco, época em que muitos turistas passam por aqui. Então, com certeza, a ampliação da oferta da PEP vai beneficiar muito a nossa população”, destaca Vanessa Correia, subgerente do Núcleo de Infecções Sexualmente Transmissíveis da Semusa.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A PEP está disponível nas seguintes unidades:

-Pronto Atendimento Ana Adelaide: 24 horas
-Pronto Atendimento José Adelino: 24 horas
-UPA Leste: 24 horas
-UPA Sul: 24 horas
-UPA Jaci: 24 horas
-Policlínica Rafael Vaz e Silva: segunda a sexta, das 7h às 19h
-USF Hamilton Gondin: segunda a sexta, das 7h às 19h
-USF Castanheiras: segunda a sexta, das 7h às 19h
-USF Pedacinho de Chão: segunda a sexta, das 7h às 19h
-CEM: segunda a sexta, das 7h às 19h
-Maternidade Municipal Mãe Esperança: apenas para gestantes
-SAE: segunda a sexta, das 7h às 19h

Proposta do PEP consiste no uso de medicamentos para redução de riscos
Proposta do PEP consiste no uso de medicamentos para redução de riscos

Proposta do PEP consiste no uso de medicamentos para redução de riscos

O que é a PEP?

A Profilaxia Pós-Exposição (PEP) é uma medida de prevenção de urgência à infecção pelo HIV. A proposta consiste no uso diário de medicamentos para reduzir o risco de adquirir o vírus.

Quem pode tomar?

Qualquer pessoas que tiver sido vítima de uma situação de risco, a chamada exposição, que é quando ocorre rompimento do preservativo, sexo sem proteção, violência sexual, cortes com seringas, entre outros, pode fazer o uso da PEP.

Na PEP, os comprimidos antirretrovirais para HIV devem ser tomados durante 28 dias, sem interrupção, sob orientação médica após avaliação do risco. Depois disso, com 30 dias, da data em que aconteceu a exposição, o paciente retorna à Unidade de Saúde para acompanhar o caso, fazer um novo teste e saber qual o diagnóstico.

Para fazer o uso, o paciente em risco deve procurar uma das unidades acima com cartão do SUS ou CPF e solicitar a medicação. Vale destacar que a PEP deve ser utilizada em até 72 horas após a exposição.

O uso de preservativos não é descartado, mesmo a quem toma o medicamento
O uso de preservativos não é descartado, mesmo a quem toma o medicamento

PRESERVATIVOS

A médica infectologista da Semusa, Maiara Cristina, destaca que mesmo com o uso da medicação, o paciente não deve descartar o preservativo, seja feminino ou masculino.

“A PEP é mais um método de prevenção ao HIV, mas isso não significa que o paciente deve abandonar a camisinha. O preservativo é ainda o método mais eficaz no combate às Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs). Portanto o uso correto dele e da PEP, são mecanismos imbatíveis às ISTs”, destaca a médica.

Os preservativos masculino e feminino também são ofertados gratuitamente pela Prefeitura de Porto Velho. Para ter acesso ao método não precisa fazer cadastro nem apresentar cartão do SUS. Também não há limite de quantidade por usuário.

Os preservativos estão disponíveis em todas as unidades de saúde da rede pública municipal, na sede da Semusa e nos centros especializados.