Trabalhadores da saúde são imunizados contra a gripe em Porto Velho

Campanha é feita em todo o país e atende, também, crianças e indígenas do município

Os cuidados com os profissionais que atuam no setor de saúde do município vão além da imunização contra a Covid-19, que é realizada pela Prefeitura de Porto Velho. Na sexta-feira (16), muitos destes trabalhadores foram ao Campus 2 do Centro Universitário São Lucas para receber a vacina contra a gripe.
Enquanto aguardavam o atendimento, eles fizeram comentários sobre a importância de cuidar da própria saúde e estar preparado para cuidar de seus pacientes.
Tácia Barreto destacou a importância da imunização
Tácia Barreto destacou a importância da imunização
Segundo Tácia Barreto, psicóloga que trabalha no Hospital de Amor, todos os profissionais da área precisam desta proteção, principalmente porque a humanidade enfrenta as dificuldades comuns de uma pandemia. “Sem dúvida nos sentimos mais seguros para cuidar da saúde das outras pessoas”, destacou.
Se a imunização é importante, a prevenção tem valor semelhante. Tomar os cuidados e se manter saudável garante ao profissional saúde para seguir cuidando dos pacientes.
Gesiane Galvão destaca que é preciso ter saúde para cuidar dos pacientesGesiane Galvão destaca que é preciso ter saúde para cuidar dos pacientes
A fisioterapeuta Gesiane Galvão, do Hospital Santa Marcelina, lembra que é preciso ter saúde para levar saúde a quem precisa. “A vacina assegura que outras pessoas não sejam infectadas. Isto vale para nossas casas e para o ambiente hospitalar”, avaliou.
Profissional da área de enfermagem do Hospital de Amor, Vinícius Vieira, que já se vacinou contra a Covid-19, disse que a proteção contra o vírus Influenza é um reforço a favor da saúde. E resume: “é uma segurança a mais para todos nós”.
PRIORITÁRIOS
Segundo a enfermeira Oziane Alves, da Divisão de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), Porto Velho recebeu 17.610 doses da vacina contra a gripe.
Na primeira fase são imunizadas as crianças de seis meses a seis anos de idade, trabalhadores da saúde e população indígena do município.
“Para evitar aglomeração, as crianças serão imunizadas pela manhã, nos postos de saúde, e os profissionais da área no Campus 2 do Centro Universitário São Lucas”, informou Oziane Alves.
 Oziane Alves explica sobre a vacinaçãoOziane Alves explica sobre a vacinação
O planejamento é para que, inicialmente, 100% dos indígenas sejam vacinados. Os demais grupos receberão 25% das doses cada um.
A campanha foi realizada pelo Ministério da Saúde e iniciou segunda-feira (12), em todo território nacional.
VÍRUS
A gripe é uma infecção aguda do sistema respiratório, provocada pelo vírus Influenza, que tem grande potencial de transmissão. É responsável por elevadas taxas de hospitalização.
Os principais sintomas da gripe são: febre, dor de garganta, tosse, dor no corpo e dor de cabeça.
Oziane Alves esclarece que é necessário transcorrer, no mínimo, 14 dias entre uma vacina e outra. “Quem tomou a vacina contra a Covid-19 deve esperar 14 dias para receber a influenza e vice-versa”, disse.