Preso que dedurou assassinos de policial penal é morto em cela

Um dos detentos assumiu a autoria do crime cometido a golpes de "chuncho"

O preso Carlos Henrique Intronivi Evaristo, de 21 anos, que o foi o primeiro da quadrilha responsável pela morte do policial penal André Broges, em agosto desse ano, a ser preso, foi assassinado na tarde do último sábado, 28, no Centro de Ressocialização Cone Sul de Vilhena.

Segundo informações levantadas pela reportagem do Folha, o crime ocorreu dentro de uma das celas e o detento que assumiu a autoria do crime afirmou que tudo se deu após o um desentendimento durante um jogo de baralho.
Porém, a morte pode ter ligação com o fato de Carlos, que foi preso em Cabixi, ter “caguetado”  os responsáveis pelo assassinato de André, que também estão presos.
Após os trabalhos periciais, o corpo da vítima foi liberado para uma funerária de plantão e o suposto responsável foi conduzido para a Delegacia da Polícia Civil para o registro do caso.
Apesar do preso A. A. A. B., ter assumido a autoria do crime cometido a golpes de “chuncho”, outros detentos também apresentavam leves escoriações.
Carlos Henrique, que foi preso com drogas em cabixi, tinha sido transferido para a unidade prisional de Vilhena, a cerca de 40 dias, após passar cerca de um mês na cadeia de Colorado do Oeste para onde foi levado após a prisão.