STF adia continuidade de processo contra Temer até que perícia seja feita em gravador

STF adia continuidade de processo contra Temer até que perícia seja feita em áudios Carlos Moura/SCO/STF

Julgamento estava marcado para esta quarta-feira (24) 

O recurso de Michel Temer contra a abertura de inquérito para investigá-lo não deve mais ser julgado pelo plenário do STF (Supremo Tribunal Federal) nesta quarta-feira (24). Nesta segunda (22), a presidente da corte, ministra Cármen Lúcia condicionou o encaminhamento da questão de ordem ao Plenário à conclusão da perícia nas gravações. O condicionamento foi pedido oficialmente pelo ministro Luiz Edson Fachin ao meio-dia.

Fachin pede inclusão da perícia aos autos, com intimação da Procuradoria Geral da República e da defesa para se manifestarem em até 24 horas após a inclusão. Com o pedido, é praticamente impossível que o processo esteja pronto para ser colocado em pauta até quarta.

 

Na sua decisão, Cármen Lúcia, explica que aguarda o aviso do ministro relator para levar a questão a plenário e avisar os demais ministros.

— A primeira sessão do Plenário deste Supremo Tribunal, na qual será apresentada questão de ordem – providência que desde já defiro – depende, portanto, nos termos do despacho do ministro relator, do integral cumprimento da diligência determinada [a perícia nos áudios].

O ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, autorizou na última quinta-feira (18) um pedido de abertura de inquérito da Procuradoria Geral da República para investigar o presidente. No último sábado (20),Fachin decidiu levar a plenário o pedido da defesa de Temer para suspender o inquérito.

Inicialmente, a tendência era de que já nesta quarta (24), o STF (Supremo Tribunal Federal) iria analisar pedido da defesa do presidente Michel Temer de suspensão do inquérito aberto na quinta.

Fonte: R7