Inter derrota Vasco em casa e ‘dorme’ na liderança do Brasileirão

Com o resultado, os gaúchos superam o Flamengo no saldo de gols

Thiago Galhardo recolocou o Internacional na liderança do Brasileirão. O artilheiro do Brasileirão fez um gol e deu uma assistência na vitória sobre o Vasco, no Beira-Rio, por 2 a 0. Com o resultado, os gaúchos superam o Flamengo no saldo de gols e nesta segunda-feira torcem por tropeço do Atlético-MG diante do Bahia.

Foi a quarta vitória seguida do Inter, melhor marca no ano sob o comando do técnico Eduardo Coudet. Os gaúchos subiram para os mesmos 34 pontos do Flamengo, mas têm 15 gols de saldo diante de 11 dos cariocas. Ambos se enfrentam na próxima rodada, no próximo domingo, no Beira-Rio.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Com um primeiro tempo primoroso, o time gaúcho fez os dois gols que o colocam novamente topo. Edenilson, em passe de Thiago Galhardo, e o próprio artilheiro, marcando seu 14° gol no Brasileirão, definiram o importante triunfo. O atacante sofreu e cobrou com precisão o pênalti.

Com uma bela camisa em homenagem ao outubro rosa, o Inter pisou no gramado do Beira-Rio ciente do resultado do Flamengo. Era preciso vitória diante do Vasco para fechar o domingo na ponta da tabela após a goleada rubro-negra.

Os cariocas prometiam empenho no Beira-Rio para tentar acabar com o jejum de sete jogos sem triunfos. Ainda sem o técnico Ricardo Sá Pinto na beira do gramado, a árdua missão ficou com o interino Alexandre Grasselli. O português viu o jogo das arquibancadas.

Já o Inter queria não apenas recuperar a liderança. Buscava chegar à inédita quarta vitória seguida no ano. Depois de ficar em primeiro por cinco rodadas seguidas, os gaúchos foram ultrapassados pelos mineiros. Jogando um dia antes, ganhar era ter certeza de dormir no topo.

Só com um resultado à disposição, o Inter partiu para cima como um rolo compressor. Foi um massacre sobre o goleiro Fernando Miguel. Thiago Galhardo cabeceou e o goleiro fez defesa complicada. Logo depois o atacante mandou por cima. Apenas uma equipe jogava.

Trocas de passes rápidas, triangulações e, enfim, o gol. Aos 24, o enorme sufoco se transformou em vantagem numérica no placar. Patrick cruzou, Thiago Galhardo ajeitou e Edenilson acertou no canto.

Abel Hernandez, cada vez mais à vontade, perdeu duas chances seguidas. Logo depois, tocou de peito para Galhardo e viu o companheiro sofrer pênalti de Leandro Castán. O artilheiro bateu com categoria, fez e arriscou uns passes de dança na comemoração. Dedicou o gol à mãe, dona Valéria, que venceu o câncer de mama.

Apenas aos 39 o Vasco, enfim, assustou o goleiro Marcelo Lomba. Cano bateu forte, cruzado, para fora. A quem vinha de sete jogos sem vitórias, a apresentação da etapa vascaína foi frustrante. Já o Inter foi imponente, soberano e merecia até uma vantagem maior.

O Vasco voltou melhor para a segunda etapa e colocou equilíbrio no jogo. O massacre dos mandantes já não existia mais. Marcelo Lomba, enfim, foi exigido. A grande chance porém, caiu nos pés de Galhardo. Fernando Miguel evitou o terceiro.

Apesar de não sofrer tanto, faltou força aos cariocas para diminuir a vantagem e “esquentar” o jogo. O Inter, satisfeito com o resultado, se fechou para garantir a vitória. Lamentou, apenas, perder o zagueiro Cuesta, suspenso, para o jogo com o Flamengo.

Antes de hospedar os cariocas, o Inter joga contra a Universidad Católica, quinta-feira, no Chile, pela classificação na Libertadores. Os gaúchos precisam de um ponto diante dos eliminados chilenos.

FICHA TÉCNICA:

INTERNACIONAL 2 x 0 VASCO

INTERNACIONAL – Marcelo Lomba; Rodinei, Victor Cuesta, Zé Gabriel e Uendel; Rodrigo Lindoso (Praxedes), Edenilson, Patrick (Rodrigo Dourado) e Marcos Guilherme (Rodrigo Moledo); Abel Hernandez (Yuri Alberto) e Thiago Galhardo (D’Alessandro). Técnico: Eduardo Coudet.

VASCO – Fernando Miguel; Yago Picachu, Miranda, Leandro Castan e Henrique; Andrey (Fellipe Bastos), Marcos Júnior (Guilherme Parede), Carlinhos e Benítez (Vinícius); Talles Magno e Cano. Técnico: Alexandre Grasselli (interino).

GOLS – Edenilson, aos 24, e Thiago Galhardo (pênalti), aos 37 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS – Leandro Castán (Vasco) e Victor Cuesta (Internacional).

ÁRBITRO – Bráulio da Silva Machado (SC).

RENDA E PÚBLICO – Jogo disputado com portões fechados.

LOCAL – Beira-Rio, em Porto Alegre (RS).