Tribunal absolve 16 ativistas de acusações relacionadas com terrorismo

Um tribunal de Istambul absolveu hoje 16 importantes ativistas turcos de acusações relacionadas ao terrorismo, incluindo o empresário Osman Kavala, noticiam as agências de notícias internacionais

O tribunal de Silivri, perto de Istambul, absolveu os 16 acusados devido “à falta de provas suficientes” para apoiar as acusações de “tentativa de derrubar o Governo”, de acordo com um correspondente da agência de notícias AFP.

Os réus foram acusados de organizar protestos antigovernamentais em massa na tentativa de derrubar o Governo turco em 2013.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O tribunal decidiu ainda que Osman Kavala, o único réu ainda preso, deveria ser libertado.

Os protestos começaram para proteger um pequeno parque no centro de Istambul de ser reconstruído como um centro comercial no estilo otomano.

As manifestações cresceram e tornaram-se um movimento de protesto mais amplo na Turquia, desafiando Recep Tayyip Erdogan, que era então o primeiro-ministro da Turquia e que agora é o Presidente do país.

Kavala, que é ainda ativista e filantropo, foi acusado de ser o “instigador e líder” dos enormes protestos populares de 2013 no parque Gezi, em Istambul, que começaram por uma questão ambiental, mas rapidamente se tornaram uma denúncia do crescente autoritarismo do Governo islamita turco.

Entre os outros 15 réus estão jornalistas, atores, atrizes, arquitetos e cineastas.

O Ministério Público havia pedido prisão perpétua para três acusados por “tentativa de derrubar o Governo” e sentenças de 15 a 20 anos de prisão para outros por colaboração com o mesmo crime.

“As absolvições de hoje são a decisão certa. A libertação de Osman Kavala foi muito atrasada”, disse à AFP Emma Sinclair-Webb, representante da Human Rights Watch.

“Todo este caso causou imenso sofrimento àqueles que foram considerados alvos erroneamente, começando com Osman Kavala. É um julgamento cujo único objetivo foi atacar os defensores dos direitos humanos”, acrescentouSinclair-Webb.