“Corona Fest” com 200 pessoas é encerrada pela polícia em Cacoal

A propriedade onde era realizada a “Corona Fest” pertence a uma conhecida autoridade da “Capital do Café”.

No momento mais dramático da pandemia de Covid-19 em Rondônia, quando secretário de Saúde e o próprio governador do Estado foram às redes sociais para alertar sobre a escalada de mortes e internações, um grupo de jovens da cidade de Cacoal mostrou que, ao menos para eles, o apelo é inútil.

 De acordo com informações obtidas pelo FOLHA DO SUL ON LINE, na madrugada de ontem, a Polícia Militar recebeu denúncia de que estaria acontecendo uma festa clandestina numa chácara que fica nas proximidades da área urbana de Cacoal.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Banner ALE 970x250

Quando chegaram ao local indicado, os policiais constataram que havia cerca de 200 pessoas reunidas no evento. Entre os participantes da festa havia vários adolescentes, e sete deles, todos com 17 anos, foram levados para a Delegacia de Polícia.

O site não conseguiu confirmar oficialmente a informação de que a propriedade onde era realizada a “Corona Fest” pertence a uma conhecida autoridade da “Capital do Café”.

O site também buscou informações, mas não conseguiu os nomes de mais de 10 dos detidos no local, e que seriam estudantes de medicina naquela cidade.

Todos os que estavam no local foram informados sobre a confecção do Termo Circunstanciado de Ocorrência pela PM, e que a audiência de conciliação será de forma on line. Sendo assim, todos devem estar disponíveis em local de internet e celular para que o JECRIM entre em contato pelo número de telefone informado pelos autores.