Mulher com quadro grave de Covid-19 é colocada em cápsula e transportada no avião dos Bombeiros, em RO

Paciente moradora da zona rural de Guajará-Mirim precisou ser socorrida até Porto Velho. Durante voo, mulher usou respiração mecânica.

Uma mulher de 45 anos, infectada pelo coronavírus, foi colocada dentro de uma cápsula de proteção para ser transferida da zona rural de Guajará-Mirim (RO) até Porto Velho. O transporte da paciente foi feito no avião do Corpo de Bombeiros, no final da tarde de quarta-feira (18).

Segundo a corporação, a paciente mora no distrito de Surpresa, em Guajará-Mirim. Após ser diagnosticada com a Covid-19, a mulher iniciou tratamento contra a doença em um posto de saúde local, mas não apresentou melhora dos sintomas.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
COVID 970x250

Com o agravamento do quadro clínico da paciente, que passou a necessitar de respirador mecânico, o avião do Corpo de Bombeiros foi acionado para ir até o distrito de Surpresa e assim fazer o transporte rápido e seguro da moradora.

Avião busca paciente de Covid-19 em distrito de Guajará-Mirim — Foto: Geanderson Maia Trindade/Corpo de Bombeiros/Reprodução
Avião busca paciente de Covid-19 em distrito de Guajará-Mirim — Foto: Geanderson Maia Trindade/Corpo de Bombeiros/Reprodução

Geanderson Maia Trindade, 2° tenente do Corpo de Bombeiros, ajudou na transferência da paciente. Ao G1, ele contou que a operação de resgate durou cerca de 2h30, sendo que o voo de volta de Guajará-Mirim para Porto Velho durou aproximadamente uma hora.

“A paciente veio respirando com o ventilador mecânico [dentro da cápsula], sem contato com o meio externo”, afirma o 2° tenente do CBMRO.

Após o avião pousar no aeroporto Governador Jorge Teixeira, em Porto Velho, a paciente se manteve isolada na cápsula e então foi encaminhada ao Hospital de Amor da Amazônia, onde está sendo tratada.

Toda a tripulação dos Bombeiros e a equipe médica usaram os equipamentos de segurança durante o voo.

Tripulação e equipe médica usaram EPI's de segurança na transferência da paciente — Foto: Geanderson Maia/Arquivo Pessoal
Tripulação e equipe médica usaram EPI’s de segurança na transferência da paciente — Foto: Geanderson Maia/Arquivo Pessoal