Notícia nacional – Fornecedora de oxigênio alega: Rondônia pode vivenciar situação muito pior que a do Amazonas

Nota da empresa Cacoal Gases repercutiu no site “O Antagonista”

 O pronunciamento da Cacoal Gases, fornecedora de oxigênio, ganhou repercussão na mídia nacional com direito à manchete alarmante.

De acordo com o site de notícias “O Antagonista”, o empreendimento sacramentou o seguinte prognóstico: a situação de Rondônia pode ficar muito pior que a do Amazonas.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Banner ALE 970x250

“No documento, a Cacoal Gases diz que no dia 11 de março informou todas as prefeituras do estado que utilizam seu serviço de que estava com dificuldade de adquirir os insumos necessários para a manutenção do fornecimento regular de oxigênio medicinal”, diz a página.

A fornecedora também deixa claro em seu anúncio oficial sobre o episódio que “as declarações de políticos afirmando que o problema do abastecimento foi resolvido é ‘mera conduta de palanque eleitoral’, e acrescenta que se o problema não for solucionado, o estoque de oxigênio vai se esgotar até a próxima quarta-feira”.

Por fim, a matéria salienta que Ministério Público Federal (MPF) enviou ao ministro da Saúde, Eduardo Pazuello [próximo a ser ex, já que o novo titular, o médico Marcelo Queiroga, foi anunciado pelo Planalto extraoficialmente], “ofício em que pede providências para que não falte oxigênio em Rondônia”.

O Uol notícias também veiculou reportagem falando sobre o último ato de Pazuello como ministro, citando Rondônia e a questão do oxigênio.

“O ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello divulgou, por meio de sua assessoria de imprensa, que está realizando uma redistribuição de oxigênio entre os estados. Segundo o comunicado do “Plano Oxigênio Brasil”, nos próximos dias 1.000 cilindros de oxigênio serão remanejados de São Paulo para Rondônia, Rio Grande do Norte, Ceará, Acre e para estados do Sul. De Manaus, segundo a assessoria de Pazuello, sairão 200 cilindros de oxigênio para o Paraná; 4 usinas de oxigênio para Santa Catarina, Acre e Rondônia; além de concentradores de oxigênio para o Rondônia e Rio Grande do Norte. Além disso, remessas diárias de oxigênio em isotanques, ainda de acordo com a assessoria, serão levadas da capital do Amazonas para Porto Velho a partir de segunda-feira (22)”.