Polícia prende casal tentando abrir conta com documentos falsos

Após ser flagrada tentando abrir uma conta bancária em uma cooperativa de crédito usando documentos falsos

Na manhã de segunda-feira (12), Vandileuza de Azevedo Oliveira, de 45 anos, foi presa por policiais da 3ª Delegacia de Polícia de Porto Velho, após ser flagrada tentando abrir uma conta bancária em uma cooperativa de crédito usando documentos falsos. A prisão ocorreu no Bairro São Cristóvão, em Porto Velho.

O comparsa dela, foragido Joel Monteiro de Matos, 27 anos, também foi preso com documento falso.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Banner ALE 970x250

Segundo a delegada Fabiana Moreira, durante a abertura da conta e verificação de documentos, a gerente da cooperativa suspeitou dos documentos apresentados por Vandileuza e acionou os investigadores. A intenção da mulher era fazer um empréstimo, segundo a Polícia.

Na segunda-feira a mulher retornou ao local para assinar os documentos de abertura de conta.  Nesse momento que ela foi presa pelos policiais.

Depois da abordagem os investigadores encontraram contracheques falsos, RG, CPF, comprovante de residência, certidão de nascimento e cartões de crédito em nome de outras pessoas. Todos os documentos apresentados por Vandileuza estavam em nome de uma mulher que reside em Ji-Paraná.

Ao ser questionada pela gerente da cooperativa, a mulher não soube informar o cargo que exercia de acordo com o contracheque que ela apresentou, segundo a delegada. Com apoio de investigadores da 1ª e 2ª DP, os investigadores realizaram diligências para prender o comparsa dela, que estava nas proximidades do local esperando a estelionatária.

Ao avistar os investigadores, Joel ainda tentou fugir em um veículo, mas foi perseguido e preso. Com ele, os policiais encontraram documentos falsos. O criminoso se passava por um homem que reside em Ji-Paraná.

Na delegacia, os policiais confirmaram que o documento apresentado por Joel era falso. Após alguns minutos de conversa, Joel acabou revelando sua verdadeira identidade.

Na consulta nominal, a Polícia descobriu que havia um mandado de prisão contra ele. Os dois ficaram à disposição da justiça.