Moradores apedrejam casa de grávida após boato que ela tem coronavírus

Áudio teria sido enviado por funcionária de hospital onde gestante foi atendida com sintomas de gripe

Um técnico de som, de 38 anos, encaminhou uma denúncia à Polícia Civil alegando que moradores estavam apedrejando a casa da irmã gestante, de 41 anos, por causa de um áudio que circulava na cidade, o qual afirmava que ela estava com coronavírus. A mulher é moradora de Águas Lindas de Goiás. De acordo com o homem, houve uma “chuva de pedras” no telhado da residência.

De acordo com o técnico de som, o áudio teria sido enviado por uma funcionária do hospital onde a gestante foi atendida com sintomas de gripe. O arquivo afirmava que a mulher havia contraído a doença e que o irmão havia voltado de uma viagem à Itália, estava com diagnóstico confirmado de Covid-19 e tinha visitado a irmã.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
COVID 970x250

De acordo com  o técnico de som, ele viajou a trabalho ao Paraná e não à Itália. Ele afirma que está aguardando o resultado de um teste de coronavírus.

Ainda segundo o técnico, a gestante atestou negativo para o coronavírus. Ela procurou um hospital da cidade com sintomas de gripe e em seguida foi encaminhada para o Hospital de Doenças Tropicais (HDT) em Goiânia, onde realizou o teste. Ela recebeu diagnóstico de pneumonia e retornou à cidade no mesmo dia.

Após o exame, a mulher voltou para Águas Lindas de Goiás. Uma equipe da Polícia Militar foi até a residência onde ela mora e, durante a conversa, moradores jogaram pedras na casa. As autoridades não conseguiram identificar os autores do ataque.