Lee Sun-kyun, ator do filme ‘Parasita’, é encontrado morto aos 48 anos

O ator de 48 anos era investigado por suposto uso de maconha e outras drogas psicoativas

O ator sul-coreano Lee Sun-kyun, famoso por seu papel no filme “Parasita”, vencedor do Oscar e da Palma de Ouro em Cannes, foi encontrado morto nesta quarta-feira (27), anunciou a polícia.

Lee, que interpretou Park Dong-ik, pai de uma família rica no filme do diretor Bong Joon-ho, foi encontrado dentro de um veículo em um parque no distrito Seongbuk de Seul, informou à AFP um funcionário da delegacia da região.

“Acreditamos que o corpo foi levado para o Hospital da Universidade Nacional de Seul”, acrescentou.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Segundo outra fonte policial, citada pela agência sul-coreana de notícias Yonhap, Lee deixou um “bilhete que parece um testamento”.

O ator de 48 anos era investigado por suposto uso de maconha e outras drogas psicoativas.

Antes reconhecido por sua imagem saudável, o ator começou a ser dispensado de projetos de televisão e comerciais após o escândalo com as drogas, segundo a imprensa sul-coreana.

Nos dias 23 e 24 de dezembro, a polícia submeteu Lee a um terceiro interrogatório, que durou 19 horas, informou a agência Yonhap.

Em outubro, ele falou rapidamente com a imprensa antes de entrar na delegacia de Incheon para conversar com os investigadores.

“Peço sinceras desculpas por causar grande decepção a muitas pessoas por estar envolvido em um incidente tão desagradável”, disse na ocasião sobre a investigação.

“Eu sinto muito pela minha família, que está enfrentando uma dor tão difícil neste momento”, acrescentou.

Lee era suspeito de consumir drogas ilícitas na residência da funcionária de um bar sofisticado no badalado bairro de Gangnam, em Seul.

O ator alegou ter sido “enganado” pela funcionária para consumir as drogas e que não tinha conhecimento do caráter ilegal das substâncias, segundo a Yonhap.

Formado na prestigiosa Universidade Nacional de Artes da Coreia, Lee estreou como ator na série de televisão de comédia “Lovers”, em 2001.

Ele foi muito elogiado por vários papéis, incluindo um chef carismático e um neurocientista genial que é incapaz de ter empatia.

Lee foi aclamado pela crítica por seu papel na série de TV “My Mister”, de 2018, na qual interpretou um arquiteto que enfrenta turbulências pessoais ao descobrir que é traído pela esposa.

No cenário internacional, ele é conhecido por interpretar o patriarca rico e superficial em “Parasita”, do diretor Bong Joon-ho, vencedor do Oscar de melhor filme em 2019 e da Palma de Ouro em Cannes em 2018.

Fãs lamentam

Seu filme mais recente, “Sleep”, de Jason Yu, no qual interpreta um marido sonâmbulo que aterroriza a esposa, foi exibido fora de competição no Festival de Cannes em 2023, na mostra “Semana da Crítica”.

Lee era casado com a atriz Jeon Hye-jin, com quem teve dois filhos.

Fãs emocionados expressaram tristeza nas redes sociais. “Eu ri e chorei muito assistindo suas interpretações. Obrigado”, escreveu um deles na rede social X.

A renomada escritora Min Jin Lee expressou condolências. “Lee foi digno de elogios em ‘Parasita’ e excepcional em ‘My Mister’”, escreveu no Instagram. “Que ele seja lembrado por seu excelente trabalho e dons criativos”.

A Coreia do Sul tem leis drásticas contra o uso de drogas ilícitas que permitem processar, inclusive, os cidadãos do país que consomem drogas no exterior quando eles retornam ao país.

Várias personalidades do mundo da cultura sul-coreana foram obrigadas a dar explicações à polícia nos últimos meses por suspeitas de consumo de drogas.

O presidente Yoon Suk Yeol pede com frequência a adoção de medidas ainda mais rigorosas para lutar contra o tráfico de drogas, em um país onde a venda de maconha pode ser punida com pena de prisão perpétua.