Pesquisadora diz que ‘mosquinha preta’ não representa riscos

Segundos os pesquisadores as mosquinhas não representam riscos

Moradores de Porto Velho, de várias cidades do estado e até mesmo de estados vizinhos como Acre e Amazonas tiveram nos últimos dias uma visita muito indesejada em seus lares, a presença de dezenas de “mosquinhas preta”, que aparece em diversos cômodos, principalmente nos banheiros. O fato acabou ligando o botão de alerta da população e muita gente entrou em pânico com medo do inseto ser um transmissor de doenças.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A presença da tal “mosquinha”, fez com que surgissem inúmeros comentários nas redes sociais e tudo que se fala é sobre a polemica presença do inseto. Em alguns dos comentários foi levantada a hipótese do mosquito ter sido criado por pesquisadores das usinas do Madeira para combater o Aedes Aegypti e sua criação ficou desordenada. De acordo com o que circula nas redes sociais, quando morto, solta um veneno que pode ser prejudicial à saúde humana. Outras afirmações de se tratar de mosca-de-banheiro, mosca-de-filtro, tabelinha e chamechuga.

O QUE É?

Uma pesquisadora do INPA (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia), afirma que o mosquito é da família da Sciaridae e não oferece perigo. Os mosquitos aparecem nesta época do ano, para buscar parceiros e se reproduzirem disse a pesquisadora. Outra informação destacada pela pesquisadora é que não existe relação do mosquito com sujeiras de banheiro, são de famílias totalmente diferentes.

O alto número de repentino desses mosquitos é provavelmente devido a uma ocasião chamada “revoada”, onde os mosquitos se unem para reprodução em massa.

 

Fonte: Rondoniaovivo