Cirurgias em pacientes com Parkinson estão sendo realizadas no Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro

Procedimento é executado com usuários SUS que aguardam na fila de regulação

Com o objetivo de oferecer um suporte e controle dos sintomas da doença de Parkinson em pacientes, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) retomou nesta sexta-feira, 16, as cirurgias de estimulação cerebral, que estão acontecendo no Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro, o procedimento é executado com os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) que aguardam na fila de regulação e possuem indicação médica para a cirurgia.

ESTIMULAÇÃO CEREBRAL
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A estimulação cerebral profunda não cura a doença de Parkinson nem impede sua progressão. Quando bem indicada e realizada, controla os sintomas motores e devolve ao parkinsoniano autonomia e independência por um determinado tempo. A cirurgia só é possível através de eletrodos cerebrais, podendo ser lesões ablativas (definitivas) ou eletrodos permanentes, que possuem a função de marcapasso cerebral, através desses materiais é possível o procedimento.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O procedimento é executado de forma complexa, com o paciente anestesiado porém consciente. Segundo a neurocirurgiã do Hospital de Base, Rafaela Rezende, o Parkinson pode impor desafios significativos na vida cotidiana, afetando a mobilidade, a coordenação motora e até mesmo a capacidade de realizar tarefas simples, mas com a cirurgia o paciente pode voltar a realizar funções do cotidiano por tempo determinado.

SERVIÇO

Para conseguir realizar o procedimento, o paciente precisa ir até uma Unidade Básica de Saúde e ser encaminhado para o especialista em neurologia que indicará se há necessidade de cirurgia ou não, o contato é realizado pela regulação do estado.

SINTOMAS

Os principais sintomas incluem tremores, rigidez muscular, bradicinesia (movimentos lentos), instabilidade postural e problemas de equilíbrio. À medida que a doença progride, os sintomas podem se agravar, impactando significativamente a qualidade de vida.

PREVENÇÃO

Prevenir o Parkinson ainda é um desafio, uma vez que as causas exatas da doença não são totalmente compreendidas. No entanto, alguns estudos sugerem que hábitos de vida saudáveis podem estar associados a um menor risco de desenvolver Parkinson.

-Exercício físico regular

-Alimentação saudável

-Controle do estresse

-Evitar toxinas ambientais

-Estimulação cognitiva

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here
Captcha verification failed!
CAPTCHA user score failed. Please contact us!